Jantar Fevereiro 2020 OPBCS

 

Momentos especiais de comunhão! 

Sorteio de bindes e muita alegria.

mais fotos em EVENTOS...

Jantar Março 2020 OPBCS

 

Praticando o cuidado integral da

Família Pastoral! Que benção!!!

mais fotos em EVENTOS...

Artigos dos pastores...

          COMO CONSERVAR-SE NO AMOR DE DEUS (Judas 21,22)

                                                  Pr. Pedro Moura - PhD Teologia

 

Conservai-vos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida e terna” (Judas 21).

 

JUDAS, o autor de uma pequenina carta, lá no finalzinho do Novo Testamento, imediatamente antes do Apocalipse, não é um dos apóstolos do Senhor Jesus. Aliás, houve dois apóstolos com esse mesmo nome: Judas, também chamado Lebeu (ou Judas Tadeu) e Judas Iscariotes, o que traiu ao Senhor. Mas o Judas, autor da carta, é um dos irmãos do Senhor Jesus. Vamos dizer: meio irmãos, filhos de Maria e José, como a Bíblia afirma. Eles tiveram a mesma mãe, mas o Senhor Jesus não é filho de José, não teve um pai humano, como eles o tiveram, sendo seu nascimento, como afirmam as Escrituras, virginal, por obra e graça do Espírito Santo (Mt 1.18-20)

A Igreja Romana nega a verdade sobre a vida conjugal, normal de Maria e José, após o nascimento do Senhor Jesus, interpondo-se contrariamente ao ensino do Novo Testamento: “E não a conheceu até que deu à luz... (Mt 1.25), e às listas com os nomes desses irmãos (Mc 3.31;Lc 8.19;Mt 12.46;Jo 2.12;1Co 9.5;Gl 1.19).

 

Recentemente, em programa de televisão, na Espanha, uma freira argentina escandalizou o mundo católico desfeiteando o ensino dogmático da eterna virgindade da Mãe do Senhor, e dizendo: “Acredito que Maria estava apaixonada por José. Acredito que eram um casal normal”. Questionando sobre o relacionamento deles, o entrevistador, Risto, disparou: “Tiveram relações sexuais?”. A resposta de Caram foi: “Bem, se digo que sim, irão me criticar, mas acho que é uma coisa normal num casal”. Contudo, deixou claro que tratava-se de uma questão: “É difícil de acreditar e difícil de aceitar. Isso acaba com as regras que inventamos sem chegar à verdadeira mensagem.”

 

Retomamos o texto de nossa meditação: “Conservai-vos no amor de Deus”. Ele é o centro dos vv20,21. O grego τηρέω, conservar (aoristo ativo imperativo τηρήσατε, é aoristo efetivo, isto é, demanda esforço e obediência decisiva) carrega o sentido de guardar tomando cuidado. Portanto, a luta é de cada um e de todos. Judas está falando à igreja. Observem o pronome plural “vós”.

 

Que momento da igreja para se ouvir e obedecer a essa ordem imperativa! Momento em que o mundo está em convulsão por causa de um organismo infeccioso chamado COVID-19. E, não resta dúvida, que afeta não apenas a saúde do mundo, mas interfere em todas as áreas, inclusive na vida da igreja. Hoje, a igreja está em casa. Para alguns, uma derrota, para nós, um novo momento de o Senhor tratar com seu povo.

O autor inspirado ensina: “Conversai-vos...”. Estamos obedecendo? Sim, muitos estão obedecendo. A igreja está orando, jejuando, humilhando-se e buscando ao Senhor. Por causa desse testemunho, as autoridades estão pedindo aos crentes para fazerem orações.

 

Recentemente, os crentes foram para as ruas de uma cidade, no Paraná, a pedido do Prefeito. Irmãos de diversas igrejas fizeram filas, com espaços consideráveis entre um e outro, nas ruas do Rio de Janeiro, levantando um clamor. O Presidente da República, ouviu a voz de parlamentares crentes e sugeriu um Dia de Jejum Nacional. Os crentes aderiram.

 

Depois da experiência do Dia de jejum Nacional, em obediência ao Senhor, criamos o Movimento JEJUM A CADA DOMINGO ‘ATÉ QUE PASSEM AS CALAMIDADES’, que já tem a adesão de irmãos no Brasil e fora do Brasil. O nome disso é: “Conservai-vos no amor de Deus”. O crente deve manter-se, em qualquer circunstância, na esfera do amor de Deus, esfera do amor que Deus tem por nós. Lawlor afirma: “O amor de Deus nunca vai mudar, mas nós temos que estar sempre apercebidos desse amor, andando sempre no calor do seu resplendor”.

 

“Esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna”. Quase sempre, no Novo Testamento, a referência é à misericórdia de Deus, mas Judas aproveita a oportunidade para expor a sua cristologia: Deus tem entregue o julgamento final a Jesus. Essa misericórdia soará aos nossos ouvidos, um dia: “Vinde, benditos de meu Pai” (Mt 25).

Quais são os passos ensinados por Judas para a igreja conservar-se no amor de Deus?

1) Buscar edificação na “santíssima fé”. No evangelho, no corpo de doutrinas. A doutrina dos apóstolos;

2) Orar no Espírito, isto é, nossa oração deve estar debaixo do controle do Espírito. O crente precisa saber que o espírito ora em nós, e é por causa dessa ajuda que o Pai ouve, através a mediação de Jesus;

3) Esperar. Esperança é a palavra de ordem. “Para a vida eterna”. A igreja conserva-se na esperança, a mais antiga promessa de Deus (Tito 1.2).

 

“Conservai-vos no amor de Deus”. Amém!

Pedro Moura, PhD.

30/052019

 

Envie-nos seu artigo para que possamos publicar e abençoar uns aos outros.

© 2023 por Consultoria estratégica. Orgulhosamente criado por Wix.com